O portal de notícias que mais cresce em Tocantins

Prorrogação do programa de redução de jornada e salário é adiada

Obtenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Nesta quinta, dia 18, e sexta, dia 19, o WhatsApp de líderes de alguns grupos empresarias e entidades setoriais sinalizou mensagens de Brasília não muito bem-vindas. O recado, dado diretamente por representantes do Ministério da Economia, era sobre a prorrogação do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm).

O principal entrave para a pronta reedição do programa é encontrar a fonte de recursos para financiá-lo. O Ministério da Economia havia proposto ao Palácio do Planalto uma redução de 10% a partir da segunda parcela do seguro-emprego para bancar a renovação do BEm. A regra de pagar pelo menos o valor de um salário mínimo ao trabalhador continuaria sendo respeitada. Os empregados demitidos sem justa causa têm direito a receber de três a cinco parcelas do seguro-desemprego.

O benefício deverá seguir os mesmos moldes de 2020, com uma complementação do governo em relação à redução de salário do trabalhador tendo como contrapartida o compromisso da preservação do emprego. A suspensão temporária do contrato de trabalho também deverá entrar novamente em cena. No ano passado, o programa ajudou a preservar 10 milhões de empregos e socorreu 1,5 milhão de empresas, segundo o Ministério da Economia.

Obtenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.